---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Educação
Crianças de Mirim Doce visitam setores de produção e vendas de roupas.

Publicado em 06/12/2018 às 09:10 - Atualizado em 06/12/2018 às 09:10

Na última semana, o Projeto Pé na estrada: conhecendo e valorizando as profissões oportunizou às crianças do Centro de Educação Infantil Martha Wulff Zimmerman uma experiência diferente: conhecer e acompanhar a confecção e a comercialização de roupas.

Turmas das professoras Adriana Schell Felácio e Tatiane Tontine conheceram a complexidade dos processos produtivos da Facção MSC de Mirim Doce, com o auxílio da sócia gerente Fabrícia Semann.

Pela primeira vez, o grupo viu máquinas industriais em funcionamento, onde as costureiras transformam tecidos em verdadeiras obras de arte. Essas profissionais fazem parte de uma categoria indispensável para a existência da indústria têxtil e, sem elas, não existiriam roupas para vestir. “Estas atividades fazem a diferença no processo ensino e aprendizagem, trabalhos como esses servem de inspiração para que se possa ultrapassar os muros da escola e aproximar a criança da realidade a que pertence, distanciando-se da ideia de que, pelo simples fato de pertencerem a uma instituição de ensino, devem ficar presos apenas às teorias”, afirma a professora Adriana.

Maravilhadas, as crianças acompanharam o funcionamento e a confecção de roupas, ficaram atentas a tudo o que viam, especialmente com a quantidade de máquinas funcionando. Expressões como “Uau”, “Olha aqui que legal!”, “Vem ver isto aqui”, “Nossa que rápida”. O que mais marcou a repercussão do diálogo durante todo o momento da visita foi “Pra onde vai tanta roupa?”

Então, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer a Loja Pertuti, de Mirim Doce. Olhares atentos, curiosos, deslumbrados tiveram o contato com o ramo vestuário, para muitos, a sua primeira experiência. Alegremente Anne Piva, gerente, conversou sobre a dinâmica da loja.

Comprar roupas não é apenas uma necessidade de se manter vestido. As roupas além de transmitirem sua personalidade, são também uma maneira de expressão e apresentação social. “É uma iniciativa fantástica, nós, professores da Educação Infantil, temos uma grande responsabilidade social e devemos colocá-la em prática tanto dentro da escola, com nossas crianças, quanto fora dela”, comenta Adriana. “Nada melhor do que aproveitar a parceria com a comunidade para ampliar, enriquecer ainda mais o conhecimento construído pela criança”.

As atividades vivenciadas na Educação Infantil através das interações com a comunidade estimulam e ensinam as crianças a conhecer e aprender mais sobre o mundo em que vivemos. Nessa hora as informações recebidas vêm para ajudar no desenvolvimento cognitivo. Para tanto, faz-se necessário conscientizar os pais, educadores e sociedade em geral sobre essa prática vivenciada pelas crianças, ou seja, de que as interações com a comunidade fazem parte de uma aprendizagem prazerosa, não sendo somente lazer, mas sim, um ato de aprendizagem. 

 

Contato: Elaine Borghesan, secretária de Educação de Mirim Doce 9 9621-0893

Foto: DIVULGAÇÃO


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar